FITEI 2016 decicado à cenografia e ao teatro alternativo chileno

10 Jun

Já foi apresentado o programa da 39ª edição – FITEI- Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica 2015 que decorre no Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia entre 28 de Maio e 19 de Junho de 2016.
Na apresentação do programa que teve lugar no dia 10 de Maio de 2016, pelas 11h30, no Teatro Rivoli estiveram presentes Gonçalo Amorim, diretor artístico do FITEI, Tiago Guedes, diretor do Teatro Municipal do Porto Rivoli/Campo Alegre, Nuno Carinhas, diretor artístico do Teatro Nacional de São João (TNSJ), assim como alguns dos artistas que vão apresentar espetáculos no festival.
O FITEI 2016 tem como tema principal a cenografia. Através de espetáculos, debates, workshops, masterclasses, exposições e seminários, será dado enfoque a uma área que por razões fundamentalmente económicas (mas não só) tem sido preterida nos últimos anos.
O arranque do FITEI faz-se com a estreia nacional de Encyclopédie de la Parole/Joris Lacoste (FR) Suite Nº2, no Teatro Rivoli, mas são muitas as propostas, nacionais e internacionais, que enriquecem a programação deste ano: Pirandello, da mala voadora, um espetáculo cujo cenário granjeou a José Capela o prémio de Melhor Cenografia da SPA; Las Ideas, de Federico León (Argentina), uma obra que se desenrola sobre uma mesa de pingue-pongue; Lost Dog… Perro Perdido, dos Cal Y Canto (Espanha), um espetáculo pensado especificamente para espaços ao ar livre; Segunda-feira: Atenção à Direita, o “combate de boxe” de Cláudia Dias, O nosso desporto preferido de uma civilização do Tipo 3: Agora, de Gonçalo Waddington, o queirosiano Nunca Mates o Mandarim, do TEP, ou El Señor Galíndez, pelo Teatro Amplio (Chile), um retrato comportamental sobre os torturadores, para referir apenas alguns.
O 39º FITEI termina em Matosinhos, no Cine-Teatro Constantino Nery, com um mais projeto latino-americano. Los Millonarios, do Teatro La María (Chile), uma comédia negra sobre o conflito mapuche, o povo indígena mais numeroso daquele país e que luta pela recuperação do seu território ancestral.